Acontece Gramado

Sim, vamos falar sobre bolsos. “Mas por que falar sobre bolsos?” Para responder essa pergunta, tenho que contar como cheguei nessa reflexão. Certo dia, me deparo com uma matéria cuja chamada era: Por que calças femininas não têm bolsos?

Lendo a matéria, descobri que a maioria das calças femininas não só não possuem bolsos, mas, quando os possuem, são falsos ou são extremamente pequenos. Buscando entender o motivo disso, descobri a razão.

No século 19, as mulheres começaram a usar vestidos mais justos ao corpo, motivo que deu origem a bolsa, visto que antes usavam bolsos por debaixo dos vestidos. As regras de etiqueta da época diziam que mulheres que carregavam muitas coisas eram mais independentes e, na época, o esperado era que a mulher fosse completamente dependente do marido.

Roupas femininas e seus bolsos minúsculos

Por isso, quanto menor a bolsa, melhor era, mais status teria a mulher. No século seguinte, mulheres passaram a usar calças, mas o estigma se perpetuou — destaca-se a fala do famoso estilista Christian Dior em 1954: “homens têm bolsos para guardar coisas, mulheres, por decoração.” Tá, legal, mas e daí?

Por causa dos reflexos históricos, atualmente um bolso feminino em um jeans de corte reto é em média 46% mais raso que um bolso masculino e apenas 40% das calças femininas têm espaço suficiente para armazenar um smartphone.

Assim, surge uma questão: você já percebeu como mulheres são comumente adjetivadas como esquecidas e desajeitadas?

Refletindo sobre isso, eu, enquanto homem, me dei conta de uma coisa: consigo, se quiser, carregar em apenas UM bolso, meu celular, chaves, carteira, fone de ouvido e carregador.

Agora tirem meus bolsos para ver o desastre que eu me torno. Como coisas pequenas influenciam no nosso cotidiano, e, além disso, influenciam na construção daquilo que temos por homem e mulher. Uma visão do que é ser mulher no século 19 induz nas roupas que usamos hoje, que leva à construção da visão de mulher do Século 21. Do bolso a equiparação salarial, somos frutos do nosso meio.

Jovem estudante de direito, canceriano e idealizador do projeto Orientando
@jvcostacoutinho

Deixe uma resposta