Acontece Gramado

Certamente você já ouviu falar de Sísifo, ele foi considerado o mais esperto dos homens por conseguir enganar a morte duas vezes. Mas, brincar com os deuses é muito perigoso e Sísifo teve um dos destino mais terríveis da história da mitologia grega.

Na primeira vez que sua hora chegou, Sísifo, ao receber Tânato, o deus da morte, conseguiu enganá-lo elogiando sua beleza e pedindo para enfeitar seu pescoço com um colar, que na verdade era uma coleira com a qual manteve a Morte aprisionada por um bom tempo.

Acontece que Zeus logo descobriu, pois as pessoas simplesmente pararam de morrer e mandou que Hades, deus do submundo, fosse pessoalmente libertar Tânato e carregar Sísifo imediatamente para o lar dos mortos.

Sísifo muito astuto, antes de partir, secretamente pediu para sua esposa não enterrar seu corpo e, lá no subterrâneo, reclamou com Hades da falta de respeito de sua mulher em não enterrar seu corpo e suplicou por um único dia de prazo entre os vivos para dar uma lição na ingrata e cumprir os sagrados rituais fúnebres.

Hades caiu direitinho e permitiu que Sísifo retornasse ao mundo dos vivos. Ele então escapa com sua mulher e nada de voltar ao submundo. Assim, enganou a Morte pela segunda vez.

Sísifo viveu feliz até morrer de velho, porém sua sentença o aguardava. Ao chegar no tártaro foi condenado a rolar uma enorme pedra de mármore montanha acima por toda a eternidade.

Toda vez que ele estava quase alcançando o topo, a pedra rolava montanha abaixo. Daí a expressão “trabalho de Sísifo“, que significa empregar esforços longos, repetitivos que nunca alcançam um objetivo final. Algo familiar?

Às vezes a vida parece um grande e infindável trabalho de Sísifo, mas mesmo após cada tentativa, ao observarmos nossa rocha rolar morro abaixo e antes de começarmos tudo de novo, há espaço para uma pausa. E é sobre essa pausa que quero falar.

Nos dias atuais, com o excesso de informações que invadem nossa mente a cada instante, a vantagem deixou de ser conseguir informações e passou a ser saber selecionar informações. Criar uma espécie de filtro que peneire somente as informações úteis para sua caminhada. Isso só faz sentido se souber para onde está indo.

Certamente você já tentou salvar um arquivo em seu celular ou computador com pouca memória e recebeu a seguinte mensagem: elimine alguns arquivos para poder armazenar novos. Nossa mente não é diferente disso, só que a mensagem vem quando dizemos: “não consigo mais pensar em nada!”.

Ela indica que o espaço reservado para memórias recentes atingiu sua capacidade máxima e nos sentimos exaustos sem sequer ter praticado qualquer esforço físico. É hora de eliminar alguns arquivos desnecessários para abrir algum espaço. Como? Silenciando a mente.

As três dicas que vou dar a seguir têm me ajudado a manter a mente serena e receptiva naqueles momentos que mais preciso dela.

1 – Pare de pensar por 2 minutos
Eu sei, isso é impossível, mas pare tudo por dois minutos, feche os olhos e preste atenção apenas em sua respiração. Tente ouvir o silêncio. Não se permita pensar no problema por esse pequeno período. Depois volte a suas as atividades. É como fazer um reboot de memória. Repita esse exercício outras vezes durante o dia e, aos poucos, vá aumentando o tempo. Perceberá que após este exercício sua mente ficará mais focada e seletiva.

2 – Transfira para uma folha
Quando bater a ansiedade diante de tantas coisas para fazer e aquele medo de não lembrar de tudo, transfira essa memória para uma folha de papel. Em uma folha qualquer faça uma lista de todas as atividades que precisa cumprir. Depois defina uma ordem de importância e verifique quais podem ser deixadas para o dia seguinte. Após isso sentirá alívio e tranquilidade.

3 – Comece devagar
Não acesse nenhuma mídia social na primeira hora da manhã – nem Insta, nem Face, nem, principalmente, Whatsapp. Vou explicar melhor.

Logo pela manhã nossa mente está mais ou menos como uma folha em branco – prontinha para receber informações. É aí que devemos preencher nossa base mental com coisas boas e fortalecer algo chamado de autorreferência – o mundo segundo o meu olhar.

Quando acordo e acesso essas mídias já recebo notícias ruins e inverto a referência passando a pensar mais nos outros do que em mim. Ao final do dia terei aquela sensação de falta de ter feito algo relevante para a pessoa mais importante do mundo: eu.

Essas primeiras horas do dia devem ser usadas para pensar em suas necessidades, sonhos e no que é importante para você. Não acredite em mim, experimente.

Silenciar a mente funciona mais ou menos como uma borracha que nos permite apagar alguns traços para depois desenharmos outros por cima. Uma mente seletiva e focada tem mais autoconfiança para agir.

Não deixe de baixar seu presente – o E-BOOK dos 10 Mandamentos da Autoconfiança. Você terá em mãos todos os mandamentos, dicas, exercícios que propus nessa série, além de conter o link para todos os textos. E de quebra já fica sabendo qual é o décimo mandamento! Baixe agora clicando na imagem abaixo.

Analista Comportamental, Life Coach, Mentor de Inovação e idealizador da Reeducação Positiva.
Um potencializador de indivíduos, equipes e resultados. 
Insta: @poder.potencial
Site: www.reeducacaopositiva.com.br

Deixe uma resposta