Acontece Gramado

De origem animal, rico em proteínas, vitaminas e minerais, o ovo já foi considerado vilão alimentar, pois acreditava-se que aumentava o colesterol.

Hoje, através de inúmeras pesquisas e estudos científicos, sabe-se que é um alimento com alto valor nutritivo e que na verdade reduz os níveis de colesterol ruim (LDL) e eleva os do colesterol bom (HDL).

Preparações como ovo cozido, frito, mexido, estrelado e poché são as mais rápidas e práticas. Pode ser de codorna, caipira, ou orgânico,  a versatilidade e as variadas formas de consumir esse alimento fazem com que ele esteja presente na alimentação diária dos brasileiros.

Em uma unidade podem ser encontradas 13 vitaminas e minerais essenciais e seis gramas de proteína de alta qualidade, com apenas 70 calorias em média.

Clara X Gema: Propriedades e Benefícios

O ovo é composto por duas partes, com características nutricionais bastante diferentes entre si. A clara é rica em proteína enquanto a gema concentra vitaminas e minerais.

Um ovo cozido possui, em média, seis gramas de proteína, originários justamente da clara, região rica em albumina, proteína que possui alto valor biológico. Ou seja, é facilmente absorvida pelo organismo e auxilia diretamente na construção da massa muscular.

Na clara se encontram todos os aminoácidos essenciais e em quantidades adequadas. Além disso, ajuda a manter a sensação de saciedade.

Na gema estão vitaminas importantes para o bom funcionamento do organismo, como zinco, selênio, fósforo, ferro, vitaminas do complexo B e ácido fólico, sendo uma super aliada no combate à anemia.

Devido à abundância de proteínas presente na composição, é possível dizer que o ovo auxilia a hipertrofia  (o ganho de massa magra) em atletas, além dos benefícios para o organismo, como garantir o funcionamento das células nervosas que ajudam na memória, pela sua abundância em colina conhecido como “o nutriente que ajuda a turbinar o cérebro” (complexo B).

Incluir ovos na dieta diária traz muitos benefícios

Outro benefício é que ele não tem glúten e por isso pode fazer parte da dieta de celíacos. De uma forma geral, o alimento além de muito nutritivo é ideal tanto para crianças quanto para adolescentes, adultos e idosos.

A quantidade e o horário para comer os ovos pode variar de acordo com o objetivo de cada dieta e a individualidade de cada organismo. O consumo exagerado desse alimento pode ser prejudicial para os pacientes com colesterol alto, obesos e hipertensos.

Mesmo sendo possível seguir alguns parâmetros como base, o ideal é sempre ter um acompanhamento individualizado de um nutricionista.

Nutricionista,  formada pela Universidade de Caxias do Sul e pós-graduando em Nutrição Clínica pela Unisinos
@nutrisimoneprestes

Deixe uma resposta