Acontece Gramado

A alimentação deve ter início logo após o nascimento e sempre que o bebê sentir fome ou sede. A recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria é que até os 6 meses de idade a alimentação do bebê seja feita exclusivamente com leite materno, uma vez que possui todos os nutrientes necessários para o crescimento e desenvolvimento saudável do bebê.

Assim, não há necessidade de nada além disso, nem mesmo água ou chás, uma vez que, com a introdução de alimentos complementares, o bebê pode rejeitar o aleitamento e a absorção dos nutrientes do leite pode ser prejudicada pelos alimentos, interferindo no desenvolvimento do bebê.

A recomendação é que a alimentação complementar inicie somente a partir dos 6 meses, mantendo o leite materno até os 2 anos de idade. Em casos onde a mãe não consegue amamentar ou o bebê não se desenvolve de forma adequada com o leite materno, é feita a introdução de fórmulas infantis específicas para a idade do bebê, em quantidades e horários de acordo com a orientação do pediatra e do nutricionista.

A introdução alimentar se dá quando os alimentos sólidos começam a fazer parte da alimentação do bebê, que antes se baseava apenas no leite materno ou na fórmula infantil. Ou seja, esse é o nome que se dá ao começo da alimentação sólida. Porém, esse processo requer alguns cuidados. Ainda, alguns alimentos são mais indicados que outros – que devem ser evitados nessa fase.

Como fazer a introdução alimentar

A partir dos 6 meses de vida do bebê o leite materno não consegue sozinho nutrir seu corpo por completo. Para uma introdução alimentar adequada, nutricionalmente falando, deve ser feita com a orientação de um nutricionista especializado, de forma gradual, tranquila e respeitosa com o bebê.

Nessa primeira fase, alimentos leves como frutas e vegetais, que são grandes fontes de vitaminas e outros nutrientes devem ser prioridade. Sempre lembrando de respeitar a vontade do bebe, ou seja, se ele não quiser comer não force, espere ele sentir fome. Alimentos que devem ser incluídos na introdução alimentar do bebê.

Frutas – As frutas são excelentes para a saúde do bebê, pois além de serem ricas em vitaminas, minerais, bem como fibras e antioxidantes, elas são leves.

São ricas em água, o que ajuda na hidratação do bebê. Além disso, agradam o paladar por serem doces. Dê preferência às frutas mais macias e que há possibilidade de servir amassadas, como é o caso da banana, do abacate e do mamão e evite frutas que contenham sementes, como a jabuticaba e a uva.

Tubérculos e Leguminosas – Os legumes e tubérculos também são uma excelente forma de apresentar os alimentos sólidos para o bebê. Semelhantemente às frutas, são ótimas fontes de nutrientes como os antioxidantes, as vitaminas e as fibras, que ajudam no funcionamento intestinal.

Não bastasse isso, além de fontes de diversos nutrientes importantes, sua digestão no corpo é rápida.

Algumas opções ideais para o consumo de bebês são:
● Batata
● Batata-doce
● Beterraba – ótima fonte de ferro, por isso ajuda a prevenir a anemia
● Cenoura
● Chuchu
● Ervilha (fonte de proteína e vitaminas)
● Feijão azuki, preto e branco (fontes de fibras e minerais variados)
● Grão-de-bico (ajuda na regulação do humor e promove um sono
mais tranquilo)
● Lentilha (grande fonte de proteína vegetal e ferro)
● Mandioquinha
● Soja

Na forma de purê, sopas e caldos o consumo desses alimentos se torna ainda mais fácil para a criança.

Os grãos integrais e os cereais – Por fim, os grãos, como o arroz e os cereais, como a aveia, a quinoa e outros, também podem fazer parte da introdução alimentar.

Posteriormente se introduz as carnes, o leite e seus derivados.

Alimentos que devem ser evitados na introdução alimentar

Além dos alimentos que devem fazer parte da introdução alimentar, existem aqueles cujo consumo é pouco aconselhável. Em geral, é preferível evitar os alimentos industrializados em todo caso, mas principalmente quando trata-se da alimentação de bebês. Sendo assim, qualquer alimento que contenha açúcar e sal em excesso, conservantes, corantes ou adoçantes artificiais não são recomendáveis.

Dentre eles destacam-se:
● refrigerantes
● fast food
● comida congelada
● café e bebidas com cafeína
● salsicha e carnes similares
● salgadinhos e doces
● Papinhas artificiais (as que são compradas prontas).

Nutricionista,  formada pela Universidade de Caxias do Sul e pós-graduando em Nutrição Clínica pela Unisinos
@nutrisimoneprestes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: