Paty Viale

Paty Viale: Uma editora para chamar de Serrana

As professoras Mariane Soares e Simone Mumbach, de São Francisco de Paula, aproveitaram a pandemia da Covid para colocar um sonho em prática: escrever e publicar para crianças, livros que pudessem se tornar material de apoio, para as suas aulas de física e matemática. Foi assim que as personagens Lilica e Gabinho ganharam vida, leitores e o mundo, incentivando crianças a aprenderem de uma forma mais lúdica. O sucesso das publicações fez as professoras se organizarem, para abrir a editora de livros Escrita Serrana.

Professoras Mariane Soares e Simone Mumbach.

Objetivo maior

O que queremos é publicar títulos relevantes à cultura serrana, e à literatura, com um mote eclético”, conta Mariane Soares com brilho nos olhos. Para ela a editora é mais que um trabalho, mas uma missão de fomentar a literatura aproximando os escritores do universo editorial, de forma individualizada, independente e profissional.

Os motivos para a formação dessa dupla empreendedora são diversos, “mas o principal deles certamente é o brilho no olho de cada autor que publicamos. Dar vida e voz para as escritas, apoiar os autores e estar num contexto de criação e imaginação é incrível! É uma daquelas coisas que não tem preço, tem valor”, complementa Simone Mumbach. Simone e Mariane gostam de frisar que “tua escrita é a nossa marca”. Frase que justamente é o o slogan norteador da editora.

Escritores mirins

Publicar escritores mirins era um sonho antigo das professoras. “Sempre encontrei textos muito criativos, entre as produções de estudantes nas séries iniciais, pensava em fomentar essa escrita e proporcionar, aos estudantes, o ingresso no meio literário como escritores”, afirma Mariane. As empresárias acreditam que o incentivo à escrita e à leitura, motivam todo um universo infantil a fazer o mesmo, e também fazem entender a importância da escrita, como forma de comunicar ideias ao mundo. O protagonismo, a força da educação e o incentivo à formação são apenas alguns dos benefícios do projeto Escrita Mirim, onde todo o lucro é revertido para o escritor e sua formação.

Editora está aí

Mais que um sonho, a editora Escrita Serrana, sediada em São Francisco de Paula, é um projeto de vida, que vem sendo posto em prática de forma planejada por estas duas mulheres. A editora também conta com profissionais autônomos da região. Hoje as empresárias recebem mensagens de todo o Rio Grande do Sul, pelas redes sociais, de escritores e escritoras que querem publicar.

Pré venda

E já estão na pré venda os livros do escritor mirim, Vinicius Langer, “Espírito Guerreiro, Coração Samurai” e da escritora, Jaqueline Brocker Zimmer, “Tantas Vidas em Uma Só”. Publicar um livro envolve muitos custos e quando o leitor compra a obra acaba ajudando o autor na publicação da mesma. Entre os benefícios também está a economia, já que na pré-venda o livro é vendido com valor promocional.

Paty Viale é jornalista nos Campos de Cima da Serra, cronista em São Francisco de Paula e ativista na causa da doação de sangue.
Contato: 54 99906101 ou [email protected]

Paty Viale: O livro da vez para quem ama a Barragem do Salto

São Francisco de Paula – Cima da Serra: Um Salto Adiante, de José Carlos Santos da Fonseca é leitura para quem gosta desta localidade.

A Barragem do Salto, no Distrito de Eletra, em São Francisco de Paula, é daqueles lugares que nos reenergiza, com água e natureza exuberante, além de muita história. O distrito de Eletra foi criado em 31 de dezembro de 1932, com área de 350 km2 e distante 21 km da cidade de São Francisco de Paula pela ERS – 235. Na sua área estão três barragens: Salto, Blang e Divisa.

O livro do escritor José Carlos da Fonseca conta a história desta comunidade, que começou em 1915, com a família de Francisco Soares Oliveira e Maria Elisa Vargas de Andrade e seus filhos Álvaro, Plínio, Alberto, Luísa e Murillo, que iniciaram o povoamento nas proximidades do Rio Santa Cruz, em terras elevadas na direção sul.

São Francisco de Paula – Cima da Serra: Um Salto Adiante, de José Carlos Santos da Fonseca é leitura para quem gosta desta localidade.

José Carlos realizou pesquisas resgatando as origens e histórias de São Francisco de Paula. Em busca de muitas lendas e contos, já escreveu três obras sobre a cidade, que são de fácil leitura e acesso. Neste volume 3, além da história sobre o Distrito de Eletra, a edição apresenta um caderno especial com fotos de São Chico. Também histórias sobre o cinema local, assaltos a bancos, ocorrências policiais, religiosidade, gado, estradas, usinas, distritos, juízes, promotores e muito mais.

O município de São Francisco de Paula, desde sua criação, tem como característica a pecuária e o tropeirismo. Todo um capítulo é dedicado ao gado franqueiro, ou crioulo lageano, que foi criado pelos primeiros pecuaristas dos Campos de Cima da Serra. Também estão relatos da origem e construção das estradas dos distritos de São Chico e outros momentos especiais como as provas ciclísticas de 1956/57.

Os livros do escritor estão à venda, em São Chico, na Miragem Livraria, na Essência da Serra, Universo Infantil e com a jornalista Patrícia Viale.

Paty Viale é jornalista nos Campos de Cima da Serra, cronista em São Francisco de Paula e ativista na causa da doação de sangue.
Contato: 54 99906101 ou [email protected]

Paty Viale: São Francisco de Paula tem uma Academia Serrana de Letras

Foi fundada a Academia Serrana de Letras – ASL – em 30 de abril de 2022, em São Francisco de Paula. O presidente eleito é o escritor Léo Ribeiro de Souza. São 20 sócios fundadores que se uniram para valorizar as letras serranas. Escritores de São Francisco de Paula se reuniram para esta fundação, porque entendem que é preciso investir na produção, divulgação e valorização da literatura serrana e dos seus autores. Esta é uma conquista importante da Cultura de São Chico.

Academia Serrana de Letras teve início no mês de abril. Créditos: Divulgação.

Léo Ribeiro, primeiro presidente da ASL

“São Francisco de Paula sempre foi um manancial de bons escritores. O rol de literatos que emanaram destas paragens transportando para o papel o conjunto de elementos formadores de nossa história bem como as características que forjaram a identidade dos habitantes de cima da serra é imensurável. A missão da Academia Serrana de Letras, além de organizarmo-nos como entidade literária, é dar seguimento a este espólio tão rico.

Pretendemos, com a fundação desta Academia, levar adiante este legado oportunizando a novos escritores que seus trabalhos sejam editados, sempre com o intuito de solidificar nosso município, como um referencial no meio cultural do estado.

Como Presidente, desta Associação, me sinto honrado pela confiança depositada e com a responsabilidade redobrada por coordenar, com o apoio de todos os colegas, esta significativa unção de vates”, afirma Léo Ribeiro

Primeiro evento da ASL

E a Academia Serrana de Letras já tem seu primeiro evento. O reconhecido pajador, Paulo de Freitas Mendonça, visitará São Francisco de Paula no dia 04 de junho, sábado, para autografar seu livro PAJADOR E DECIMISTA, no Centro de Informações Turísticas.

* Pajador é o trovador que recita a pajada, uma forma de rimas que ficou muito conhecida com o tradicionalista gaúcho Jayme Caetano Braun. Além do Rio Grande do Sul, o estilo é encontrado na cultura da Argentina, do Uruguai e do Chile.

Paty Viale é jornalista nos Campos de Cima da Serra, cronista em São Francisco de Paula e ativista na causa da doação de sangue.
Contato: 54 99906101 ou [email protected]

Paty Viale: Simone Mumbach lança livro “Aventurantes” no Parador Hampel

Na sala de aula um dos principais desafios dos professores é encontrar formas interessantes de ensinar os alunos. Muitas vezes faltam materiais didáticos e aí é que a criatividade entra em cena. A professora de matemática Simone Mumbach, atenta a este cenário, lançou um livro (primeiro de uma série de livros) intitulado “Aventurantes – As descobertas de Gabinho e Trovão”.

Livro da professora Simone terá lançamento nesta quinta-feira. Créditos: Divulgação.

O livro tem como personagens, uma dupla de aventureiros e pensantes, que refletem sobre essas aventuras e acabam descobrindo algumas noções matemáticas. O livro ainda carrega espaço para homenagens: Gabinho é seu filho Gabriel (hoje com 16 anos) e Trovão é o cachorro que acompanha a família há 8 anos.

Professora da rede pública há mais de 25 anos, atualmente Simone trabalha na Secretaria Municipal de Educação de São Francisco de Paula. Ela nos conta que o livro é composto por cinco histórias:

1. O mistério do pacote
2. O mapa do tesouro
3. Uma viagem no tempo
4. A dieta do Trovão
5. Trovão, um cachorro econômico?

Cada uma delas envolve noções matemáticas diferentes. A ideia do projeto é publicar vários livros, então os AVENTURANTES irão continuar”, antecipa a autora. A obra, publicada pela Z Multi Editora, tem ilustrações de Luciano Duarte. A obra está sendo comercializada pelo valor de R$ 35,00 e pode ser adquirida diretamente com a autora pelo WhatsApp (51) 98212-5601.

A obra se destina a todos os leitores, mas especificamente para crianças da Pré-Escola ao 5° ano do Ensino Fundamental e professores que ensinam matemática.

O livro será lançado nesta quinta feira, 24 de fevereiro, às 18h, no Parador Hampel, em São Francisco de Paula.  

Paty Viale é jornalista nos Campos de Cima da Serra, cronista em São Francisco de Paula e ativista na causa da doação de sangue.
Contato: (54) 99906101 ou [email protected]

Paty Viale: Foggo Conecta leva chefs internacionais a São Francisco de Paula

O festival gastronômico Foggo nasceu através de uma conversa entre os fundadores Bruna Amendola, Vera Livi e o chef Marcos Livi, com o desejo de promover pratos regionais e internacionais e utilizando a gastronomia como intercâmbio cultural. O Foggo conecta e o fogo une. Os pilares do Foggo são voltar às origens da cozinha do fogo, valorizando o produto e mostrando o alimento brasileiro ao mundo.

Foggo Conecta no Brasil

Na última semana, o Rio de Janeiro foi o cenário escolhido para o Foggo 2022.  No Shopping Leblon, no espaço de 900m² a céu aberto, foram montadas dez estações para o preparo dos pratos. Além de experimentar carnes e vegetais preparados no fogo (incluindo opção vegana), os participantes tiveram a oportunidade de interagir com uma seleção de chefs de várias partes do mundo. Do Brasil, além dos organizadores Marcos Livi e de Jimmy McManis, estiveram presentes Rafa Costa e Silva, do estrelado Lasai, Andressa Cabral, do Meza Bar e do Yayá Comidaria, Jérôme Dardillac, chef-executivo do Hotel Fairmont, e o confeiteiro Lucas Corazza, que se encarregou das sobremesas.

Já do exterior vieram o espanhol Rafa Zafra, que atua com os irmãos Adrià no Heart Ibiza e comanda o Estimar, em Barcelona e Madrid; João Oliveira, do Vista (Portugal), Tekuna Gachechiladze, que comanda o Café Littera (em Tiblissi); o chef Maksut Askar, proprietário do Neolokal, considerado um dos melhores restaurantes de Istambul (Turquia), e o paulistano Gustavo Bottino, curador do Churrascada, maior evento de churrasco do mundo. Depois do evento carioca, os chefs visitaram o Parador Hampel, em São Francisco de Paula, para uma imersão e troca cultural e gastronômica.

Tem gringo na lavoura de ruibarbo

E nestes dias de fevereiro, os chefs internacionais do Foggo Conecta também puderam conhecer a plantação de ruibarbo, na Fazenda da Cria, da família Martini Müller, em São Francisco de Paula. Na ocasião, foram apresentados os plantios de ruibarbo, talo utilizado no preparo de pratos, tortas e drinks, além da gastronomia inspirada na hortaliça. O chef Marcos Livi lembrou que turismo tem que ser inclusivo e não exclusivo, precisando valorizar principalmente o produtor local.

Chefs internacionais do Foggo Conecta também puderam conhecer a plantação de ruibarbo, na Fazenda da Cria, da família Martini Müller, em São Francisco de Paula.
Paty Viale é jornalista nos Campos de Cima da Serra, cronista em São Francisco de Paula e ativista na causa da doação de sangue.
Contato: (54) 99906101 ou [email protected]

Paty Viale: Um livro para divulgar o universo dos cogumelos silvestres

Primavera Fungi, de Jeferson Müller Timm, será lançado neste domingo, dia 13/02, no Parador Hampel, em São Chico. Na sua segunda edição, o Primavera Fungi, acontece graças a um financiamento coletivo, que dá continuidade e ampliação ao projeto de divulgação científica e desmistificação da Funga (é o termo que acolhe a diversidade do reino Fungi), iniciado com a publicação da primeira edição do livro Primavera Fungi, em 2018.

Primavera Fungi, de Jeferson Müller Timm, será lançado neste domingo, dia 13/02, no Parador Hampel, em São Chico. Foto: Cristiano Fão e Tati Feldens.

Cogumelos são fungos e não vegetais

Eles pertencem ao reino fungi, dos fungos. Existe uma infinidade de cogumelos comestíveis no mundo. Pesquisa de 2017 estima que existam entre 2,2 e 3,8 milhões de espécies de fungos no mundo, sendo que conhecemos apenas 120 mil delas.

O autor

Jeferson Timm, autor do livro, é biólogo e estuda cogumelos silvestres há 15 anos, além de um apaixonado pela natureza e fotografia. Com a nova edição, revisada e ampliada, também foram feitos materiais didáticos e de livre circulação, para incentivar ainda mais o conhecimento popular sobre os cogumelos silvestres.

Lançamento do livro

O livro será lançado neste domingo, 13/02, a partir das 11h30min, no evento Elas e o Foggo, no Parador Hampel, em São Francisco de Paula. Para maiores informações sobre o evento de domingo (54) 9 96929717.

Paty Viale é jornalista nos Campos de Cima da Serra, cronista em São Francisco de Paula e ativista na causa da doação de sangue.
Contato: (54) 99906101 ou [email protected]

Paty Viale: Flagra mostra que Lobo Guará resiste à ameaça de extinção

Não é em São Chico, mas é em município dos Campos de Cima de Serra. O fotógrafo Wilton Sandes fotografou um lobo guará agora no mês de janeiro, em São José dos Ausentes. A cena aconteceu próximo ao cânion Amola Faca. O lobo guará é o maior canídeo da América do Sul e está na lista dos “quase ameaçados de extinção”. O desmatamento e a caça na região são tidos como os principais fatores que estão diminuindo a população deste animal.

Wilton é bombeiro militar aposentado e atualmente mora em Curitiba/PR. Ele é um apaixonado por este animal silvestre e há mais de dez anos viaja em busca de uma oportunidade para fotografá-lo. Na passagem de ano, ele e sua esposa, Ellen Patrícia, estavam em São José dos Ausentes/RS, observando aves na borda do cânion. Foi quando ele viu um vulto em tons vermelhos na vegetação. A princípio pensaram ser um veado. Conforme o animal foi se aproximando perceberam ser um lobo guará, que estava numa distância aproximada de 300 metros deles. Com a ajuda da esposa, Wilton colocou sua máquina fotográfica para funcionar registrando o momento.

O casal ficou muito emocionado por ter presenciado a vida silvestre no sul do país. Mas também é deles o alerta para o pessoal que faz turismo e vive nos Campos de Cima da Serra: “Respeitem as regras de visitação aos cânions. Saibam contemplar o que há de maravilhoso que é a natureza”.

Wilton concluiu a entrevista pedindo que as fotos não alarmem quanto à existência do lobo guará na região, mas que ensine às pessoas a protegerem e respeitarem a fauna e flora local. Aqui na Região das Hortênsias, o projeto Lobo Guará, idealizado por Vitor Hugo Travi e Liane Ramires, e agora sendo realizado pelo filho João Pedro Travi, incentiva a educação ambiental desde a infância, para conhecimento e proteção da vida nativa desta região do sul do país.

Paty Viale é jornalista nos Campos de Cima da Serra, cronista em São Francisco de Paula e ativista na causa da doação de sangue.
Contato: (54) 99906101 ou [email protected]

Paty Viale: Tempo de estiagem é tempo de rever o uso da água

Não deveríamos estar repetindo que a água é um direito de todos, mas ainda precisamos. Principalmente em tempos de mudanças climáticas.

Os municípios de Canela e São Chico se uniram para discutir a possibilidade de um consórcio intermunicipal para gerenciamento de água e esgoto. Esse seria o primeiro consórcio do tipo no Rio Grande do Sul.

A possibilidade surge após a frustração dos municípios nas tratativas com a Companhia RioGrandense de Saneamento (Corsan) para assinatura de aditivo. A parceria que está sendo estudada entre os municípios buscar garantir o bom funcionamento da distribuição de água e da administração do esgoto em toda a região.

Os dois municípios vizinhos, são responsáveis pela distribuição e tratamento da água consumida em Gramado, por exemplo. São Francisco de Paula chega a ser considerada, por membros da própria Corsan, umas das “caixas d’agua” do Estado, não somente pelo volume de água no subterrâneo, mas também na superfície. 

Barragem da Corsan em São Francisco de Paula. Crédito assessoria de imprensa Prefeitura São Francisco de Paula

Lembrando que São Francisco de Paula chegou a ir à justiça, com decisão favorável, para que a Corsan cumprisse os termos do contrato firmado em 2019. A principal cláusula, que estava sendo descumprida, era a disponibilização de abastecimento de água potável nos Distritos de Juá, Eletra (Barragem do Salto) e Cazuza Ferreira.

O juiz estabeleceu, à época, prazo de 180 dias para que a empresa cumprisse o contrato, sob pena de multa diária de 10 mil reais. A Companhia não cumpriu nenhuma das metas. Na Barragem do Salto cerca de 40 pessoas sofrem com a falta de água desde 2019.

E convém recordar que a água é um direito humano, que os recursos hídricos são um bem comum, que são administrados pelos governos em nome dos cidadãos, e que estes mesmos governos têm a responsabilidade de fornecer água potável e saneamento para todos os cidadãos. Sejamos responsáveis, principalmente em tempos de estiagem.

Paty Viale: São Chico é terra para contemplar flores

A partir da última quarta-feira (19), é possível adquirir um ingresso especial, que dá passe livre no Mátria Parque de Flores, por seis meses. Estes passaportes semestrais são indicados para quem quer visitar o parque ao longo das estações. Não há limite de visitas para quem adquire o passaporte no período de validade. O Mátria abre todos os dias, das 10h às 18h.

A novidade faz parte projeto Mátria, que pretende proporcionar aos visitantes o acompanhamento da evolução de um grande jardim e suas alterações. Os espaços naturais mudam durante o dia pela luminosidade, ao longo do ano pelas estações e, com o passar dos meses, a maturação do parque de flores vai surpreender e mostrar os ciclos da natureza. Será pura contemplação dos jardins!

O benefício do novo ingresso garante ao portador acesso ao Mátria todos os dias, durante 6 meses a partir da data da compra. O ingresso/passaporte é vendido no site do parque ou na bilheteria e o comprador deve trocar o ticket pela carteirinha. Nesse momento, será assinado o termo de responsabilidade de uso. Os passaportes são nominais e intransferíveis e a quantidade é limitada.

Outra novidade é que o Mátria iniciou a venda de árvores nativas. São espécies como pitangueira, araucária, ipê roxo, ipê amarelo, camboim, entre outras. Preservar o meio ambiente mostra-se como o melhor caminho.

Paty Viale é jornalista nos Campos de Cima da Serra, cronista em São Francisco de Paula e ativista na causa da doação de sangue.
Contato: (54) 99906101 ou [email protected]

Espere um momento!

Assine nossa Newsletter e fique por dentro de tudo que Acontece

Não se preocupe, você será notificado apenas quando houver conteúdos novos em nosso site.

Espere um momento!

Assine nossa Newsletter e fique por dentro de tudo que Acontece

Não se preocupe, você será notificado apenas quando houver conteúdos novos em nosso site.